6 razões que explicam por que você não está perdendo gordura da barriga

que explicam por que você não está perdendo gordura da barriga
A gordura da barriga é a mais difícil de eliminar para muitas pessoas. Ás vezes, o indivíduo consegue emagrecer braços, pernas e até pescoço, mas a danada da barriga continua lá.

Mas não se preocupe, com estas 6 razões que explicam por que você não está perdendo gordura da barriga você descobrirá o que está acontecendo e poderá dar um fim na gordura abdominal.


1 - Você não consome magnésio

Nossos corpos precisam de magnésio para mais de 300 reações químicas, incluindo a manutenção do ritmo cardíaco estável e para regular os níveis de açúcar no sangue, mas, além de seus benefícios para a saúde, este nutriente também pode ajudar na perda de peso e moldar o corpo. 

Um estudo de 2013 no Journal of Nutrition concluiu que a ingestão maior de magnésio foi associado com baixos níveis de glicemia de jejum e insulina (marcadores relacionados à gordura e ganho de peso), e um estudo da Inglaterra descobriu que um suplemento de magnésio pode ter alguns efeitos benéficos na redução da retenção de líquidos durante o ciclo menstrual, ou seja, você vai se sentir menos inchada.
 
Coma mais alimentos ricos em magnésio, como vegetais de folhas verdes, feijão e nozes. Ou fale com o seu médico antes de tomar um suplemento.

A quantidade recomendada de magnésio para mulheres com menos de 30 anos é 310 mg e 320 mg para mulheres de 30 anos ou mais.

2 - Você está fazendo o exercício errado

Muitas pessoas recorrem à exercícios de cardio ao tentar emagrecer. O problema com essa abordagem é que uma corrida de 45 minutos em um ritmo consistente pode ajudá-lo a perder peso no início, mas logo o seu metabolismo irá se ajustar e você vai parar de queimar calorias.

A melhor e mais eficaz maneira para tonificar sua barriga é o treinamento com pesos. Levantar pesos cria micro-lágrimas nos músculos que levam mais energia (ou seja, queima mais calorias) no processo de cura, que podem durar até dois dias após a sessão de treino. 

Em particular, uma pesquisa descobriu que o treino mais eficaz para a perda de gordura é o de alta intensidade com intervalo de formação, ou HIIT, o que aumenta a sua frequência cardíaca enquanto também tributa os músculos. 

De fato, um estudo do Reino Unido descobriu que um treinamento de corrida ajudou os participantes  perder centímetros de sua cintura e quadris depois de apenas duas semanas no programa, enquanto um estudo da Universidade de Arkansas descobriu que as pessoas que se exercitaram com alta intensidade sofreu uma diminuição de 20 por cento na gordura abdominal.

Você pode criar um programa HIIT com qualquer tipo de exercício, incluindo exercícios de cardio, como corrida, natação, ciclismo, ou remo, bem como exercícios de força de corpo inteiro.

3 - Você não dorme o bastante

Mais da metade das mulheres sentem que não estão dormindo o suficiente, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Conselho dormir melhor.

E esta falta de sono pode ter consequências graves para a sua cintura. Um estudo no American Journal of Epidemiology concluiu que as mulheres que dormiam cinco ou menos horas por noite eram 32 por cento mais propensas a experimentar maior ganho de peso ao longo de 16 anos do que aquelas que tem mais sono. 

Além disso, de acordo com um estudo da Obesidade Nutrition Research Center de Nova York, as mulheres que tem quatro horas de sono em vez de oito, consumiram mais de 300 calorias extras por dia, principalmente de alimentos gordurosos. 

Por quê? Muito pouco sono provoca um aumento de um hormônio chamado grelina que estimula o apetite. Obtenha o recomendado por especialistas: durma de sete a nove horas sono por noite. 

Para garantir a qualidade do sono, remova distrações eletrônicas do quarto; mantenha a calma (seu corpo dorme melhor em cerca de 65 graus); evite cafeína após o almoço; e tente manter o mesmo horário de ir dormir, mesmo que isso signifique levantar-se mais cedo inclusive em fins de semana.

Programa de emagrecimento

4 - Você é viciado em refrigerante

Refrigerante com açúcar, repleto de calorias vazias, é, obviamente, um desastre na dieta, mas mesmo a versão sem calorias pode expandir sua cintura. 

Um estudo de 2012 publicado na revista Obesity constatou que refrigerante regular foi associado com o aumento do tamanho da cintura e gordura abdominal, mas refrigerante diet foi associado com o aumento do tamanho da cintura, IMC e porcentagem total de gordura. 

Uma teoria por que isso acontece é que os adoçantes artificiais em refrigerantes diets não produzem as respostas que o seu corpo espera quando você come algo doce. 

Então, o doce sabor de um refrigerante diet desencadeia uma mensagem para o seu corpo esperar um influxo de energia, o que não vai chegar, pois não existem calorias em bebidas dietéticas. 

Isto interfere com sinais de fome do seu corpo e faz com que você almeje (e consuma) calorias adicionais para compensar a falta de calorias em refrigerante diet.

Pare este ciclo vicioso, fazendo da água ou do chá sem açúcar suas bebidas padrões com as refeições. Se você está entediado com o H2O, adoce-o com fatias de frutas.

O café também é bom, mas minimize as adições de alto teor calórico. 

5 - Sua dieta é embalada com sal 

Se você já se sentiu inchada após uma refeição salgada, isso não é coisa da sua cabeça. O excesso de sal faz com que a água se desloque de sua corrente sanguínea em sua pele, e é por isso que uma dose diária de Doritos vai lhe dar uma aparência inchada.

Quase 90 por cento das pessoas consomem mais sódio do que o recomendado, que é de 2,300mg por dia. Assim, mesmo se você não está exagerando no sal, você está provavelmente consumindo mais sódio do que você precisa através de outras fontes, tais como alimentos enlatados, molhos para salada, frios, e mesmo alguns produtos lácteos, como queijo cottage.

Evite adicionar sal nas suas refeições. Em vez disso, impulsione o sabor com especiarias e ervas, muitas das quais adicionam benefícios a saúde também.

Experimente cozinhar com deliciosos sabores como canela, pimenta em pó, de Caiena, cominho, gengibre, manjericão, salsa e alecrim.

6 - Você bebe muito

Vários estudos mostram que o álcool pode aumentar o apetite e ingestão de alimentos, e certos tipos de álcool estão associados com a gordura da barriga, especificamente. 

Se você é um aficionado por bebidas alcoólicas, seja especialmente consciente de seu consumo: uma revisão de 2013 sugere que o consumo de cerveja está associada com a obesidade abdominal, enquanto um estudo alemão descobriu que o consumo na vida de álcool está positivamente relacionada com a gordura abdominal em 160 mil mulheres.

É bom desfrutar de um copo de vinho ou licor de vez em quando com uma refeição. Mas evite refrigerante e mixers açucaradas, como aqueles usados para daiquiris e margaritas. 

A boa notícia? Não há necessidade de cortar a bebida completamente. Na verdade, um estudo de 2010 publicado na revista Archives of Internal Medicine descobriu que as mulheres com peso normal que consumiram uma quantidade moderada de álcool ganharam menos peso e tiveram um menor risco de se tornar obesa.

Seja o primeiro a comentar!